Primeiro Parque Nacional do Brasil completa 80 anos e os desafios às Áreas Protegidas continuam

Em meio a revolução industrial, com o avanço do capitalismo e de fronteiras agrícolas nos EUA, é criado o primeiro Parque Nacional, o de Yellowstone, no ano de 1872. Aberto à visitação pública, para fins de recreação, destinado à preservação perpétua e sob a égide do poder público, esse Parque abriga paisagens de grande beleza cênica e foi símbolo da criação de áreas naturais protegidas em prol da biodiversidade em todo o mundo, influenciando na criação de outras áreas em todo o planeta.

No Brasil, algumas décadas depois, em 1937, cria-se o Parque Nacional de Itatiaia (PNI), que este ano comemora seus 80 anos. Localizado em uma das regiões mais preservadas de Mata Atlântica, na Serra da Mantiqueira, este parque protege nascentes de rios que abastecem 12 bacias hidrográficas, além de abrigar uma vasta biodiversidade.

20160409_151749.jpg

Foto: Parque Nacional de Itatiaia (Norah Gamarra)

Ao contrário do que muitos pensam sobre as Áreas Protegidas impedirem o desenvolvimento, por tirar espaço de uma área que poderia estar sendo utilizada com outro fim, o PNI colabora com o desenvolvimento urbano e econômico da região, pois fornece recursos naturais chave. Além do retorno financeiro devido às atividades como o turismo, por exemplo.
Entretanto, mesmo que com muitas décadas de existência, o Parque, assim como muitas outras Unidades de Conservação (UC), enfrenta desafios em relação à regularização fundiária. Apenas 52% de seu território são de áreas da União, as demais compreendem casas de veraneio, hotéis ativados e desativados, fazendas etc.

Alguns dos desafios pertinentes às Unidades de Conservação são a escassez de recursos humanos e financeiros, baixo apoio da população, turismo desordenado, conflitos de uso de terra, além de eventos PADDD (Protected Areas Downgrading, Downsizing and Degazettement) que levam a redução, extinção ou reclassificação dessas áreas (veja mais).

Portanto, pesquisas científicas para ampliar nosso conhecimento sobre a biodiversidade e seus serviços ecossistêmicos, fortalecimento do turismo, educação ambiental e fiscalização nas Áreas Protegidas são essenciais para que possamos comemorar mais “anos de vida” do PNI e das demais UCs.

Por Norah Gamarra e Thainá Lessa.

https://oglobo.globo.com/rio/do-espaco-prova-de-que-verde-venceu-21400975

http://www.semeia.org.br/arquivo-4.php

http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2017/05/1887707-parque-nacional-de-itatiaia-celebra-os-80-anos-com-novo-centro-de-visitantes.shtml

https://oglobo.globo.com/rio/parte-alta-do-parque-nacional-do-itatiaia-disputa-titulo-de-regiao-mais-fria-do-brasil-21406248

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s